Dicas para começar

Quando iniciamos em nossa profissão e entramos no mercado de trabalho sempre surgem muitas dúvidas. Na área de Web Design não é diferente. Dúvidas como “quanto cobrar?” são comuns em quem está iniciando e não tem nenhuma referência. Nesse novo Editorial vamos abordar alguns assuntos importantes e dar dicas. Isso pode te ajudar a se organizar e começar bem a sua carreira.

Para começar

Para começar bem na carreira, alguns fatores são indispensáveis. Algumas dicas importantes que você tem que ter em mente para economizar tempo, e no fim, apresentar um bom trabalho.
1- Estudo teórico: geralmente as pessoas têm um pouco de preconceito com o estudo teórico, dizem que o que importa mesmo é a prática. Mas como aplicar na prática se você não tem uma estrutura mínima de conhecimento teórico? É muito importante que você estude tipografia, cores e diagramação antes de sair por aí aplicando na prática.
2- Planejamento e Briefing: nada melhor do que um planejamento para colocar as idéias em ordem. Procure saber o porquê das coisas, organize suas idéias, procure sites que abordem o mesmo tema, pesquise, e faça um briefing geral.
3- Profissionalismo: não adianta você ter tudo na ponta da língua, saber tudo na teoria e na prática, se você não tem uma postura profissional. A forma como você trata os seus clientes é fundamental para que ele se sinta seguro e tenha confiança no seu trabalho. Uma dica bem legal é entregar relatórios mensais ou semanais, dependendo do projeto, isso lhe dará credibilidade e passará confiança ao cliente.

Portfólio

Poderíamos ter colocado um tópico no item acima para falar sobre portfólios. Mas sua importância é tanta, que resolvemos falar separadamente. O portfólio funciona como uma vitrine de seus trabalhos. É o lugar no qual você vai expor seu estilo de trabalho e sua capacidade criativa. É através do portfólio que a pessoa que está selecionando candidatos para a vaga verá se você domina as técnicas e sabe o que está fazendo. Mas, como ter um bom portfólio? Dicas que são simples, mas muitas vezes passam despercebidas.
- invista em um domínio: .com.br, .com ou até .net, seja o primeiro a valorizar o seu trabalho, caso contrário ninguém fará isso por você.
- Cuidado com o português, leia, leia e releia. Peça para algum amigo revisar ou use corretores automáticos. Nada pode queimar mais o seu filme do que erros de ortografia.
- Tenha algum trabalho para colocar em seu portfólio, faça um site por conta própria sobre algum assunto que você goste, mesmo que não seja nenhum projeto pago, use sua criatividade e bom gosto.
- Evite textos grandes e maçantes, o cliente ou recrutador, não estão interessados em texto, mas sim no trabalho que você tem a oferecer.

Vou ser Freelancer?

Agora que você já sabe se portar como um profissional, já tem um portfólio bacana, você tem que decidir como vai trabalhar. Muitos Web Designers optam por trabalhar como freelancer, assim ficam de fora de obrigações como cumprir horário na empresa, ter um chefe e todas essas coisas. Quando se é freelancer, você é seu próprio chefe, sendo assim você tem que colocar limites em si mesmo, saber separar o pessoal do profissional para que você possa desempenhar um bom trabalho, isso pode ser bem complicado para algumas pessoas.
Ser freelancer também pode ter muitas vantagens. Listaremos aqui algumas:

Finanças: Sendo freelancer, você aprende a administrar melhor o seu dinheiro, raramente você terá um salário fixo, assim você saberá o que é prioridade. Além de que, trabalhando em casa você terá muita economia, como por exemplo, transporte ou gastos com refeições fora de casa.

Tempo: para conseguir dar conta de todos os trabalhos, você precisa dividir bem o seu tempo, afinal de contas tempo é dinheiro, no caso de freelancers mais ainda. Tendo o tempo bem organizado você prioriza as coisas importantes, assim poupando a energia que será utilizada em seus trabalhos, mas longos.

Motivação: sendo freelancer as recompensas aparecem mais rápido. Por exemplo, ao término de um projeto, você colhe logo as recompensas e não espera o fim do mês. Nesse mercado, você define seu próprio futuro.

Gostou das vantagens? Mas é sempre bom se atentar a alguns detalhes para que você seja um freela de sucesso. Veja algumas dicas:
1- É muito importante que você tenha indicações de trabalhos passados para que seu novo cliente veja que você é um profissional responsável e que faz um bom trabalho.
2- Divulgue muito o seu trabalho. Invista em campanhas AdWords ou até mesmo em um blog para dar dicas sobre design. Isso te dá mais credibilidade e ajuda a indexar o seu nome nas buscas do Google.
3- É interessante manter um currículo atualizado no linkdin e ter sua rede de contatos sempre ativa.
4- Participar de fóruns vai te ajudar a se manter atualizado sobre as novidades e tendências de sua área além de poder tirar dúvidas sobre o trabalho.
A escolha entre ser freela ou contratado depende de você. Avalie seu estilo de vida e estude em qual das duas opções se sairá melhor.
Uma dúvida muito comum de quem está começando na carreira, principalmente como freelancer é: Como negociar um preço com meu cliente? Continue lendo nosso editorial e confira dicas que podem te ajudar na hora da negociação.

Como negociar um preço

Agora que você já sabe apresentar um bom portfólio e com isso atrair cada vez mais clientes, aprenda a cobrar pelo seu trabalho. No livro “Guia do Ilustrador” de Ricardo Antunes ele dá várias dicas muito legais para você usar na hora de negociar o preço do seu trabalho.
1- Jamais faça um trabalho de graça ou por um preço excessivamente baixo. É comum, por ser um dos primeiros trabalhos, que você queira fazer um trabalho de graça ou por um preço de banana só para ganhar “prestígio”. Isso, além de desvalorizar o seu trabalho, muitas vezes não trás tanto prestígio assim.
2- Para negociar o preço certo, é importante que você saiba o valor mínimo de um trabalho. Como se trata de uma profissão não regulamentada não existe uma tabela fixa de valores, existem algumas tabelas antigas de sindicados, que estão bem desatualizadas. O ideal é que você converse com pessoas que já estão no mercado, eles darão preços diferentes, mas sempre na mesma margem. Existem alguns livros, de profissionais renomados que dão dicas sobre como cobrar.
3- Tente evitar orçamentos dados na hora sob pressão. Peça pelo menos um dia para que você possa dar um retorno ao cliente.

Com essas informações você poderá se organizar melhor na hora de começar um novo projeto ou até mesmo embarcar em uma nova carreira.
Fiquem ligados em nossos próximos editoriais, a ABRAWEB procura sempre trazer novidades, tendências e informações úteis para você, web designer e desenvolvedor.



Colunista

Mauro Faccioni Filho

O Prof. Mauro Faccioni Filho, Dr.Eng.,  é colunista na ABRAWEB, e há mais de 10 anos é Coordenador dos cursos, na Unisul Virtual, de Sistemas para Internet (Graduação); Datacenter: Projeto, Operação e Serviços (Pós Graduação) e Design de Produto na Era Digital (Pós Graduação).  É consultor em tecnologia e líder do Grupo de Pesquisa em Sistemas Complexos - SISPLEX - na Unisul.



Mais artigos sobre negócios web

ABRAWEB - Associação Brasileira de Profissionais de Internet | Av. Queiroz Filho, 1700 bl C, sl 411 - Vila Hamburguesa - São Paulo - SP CEP 05319-000 | CNPJ 05037868/0001-80 tel. 11 2368-2445